Antonina

Fonte da Carioca

Localizada no final da rua Dr. Carlos Gomes da Costa, no sentido do bairro da Graciosa de Cima. Fonte da Carioca é composta por quatro pequenas torres, um receptáculo de captação da água que ali verte, totalmente coberto e uma porta de madeira na parte frontal com um bonito brasão imperial, a Fonte da Carioca foi tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná sob o n.º de inscrição 22, do livro do tombo histórico, Processo n.º 22 de 1969.
Sua construção data de 1867 e foi o principal meio de abastecimento da cidade até a década de 1930. Seu estilo de construção é praticamente idêntico à todas as fontes construídas na época do império.
De arquitetura simples, a fonte guarda em sua História a visita de D. Pedro II, que ali bebeu da sua água fresca e cristalina.
Envolta em crenças populares, contam os mais antigos moradores da cidade que o visitante que bebesse desta água retornaria saudoso de Antonina.
O significado da palavra "Carioca" provém de nosso gentil, pois "Carioca" é o nome de um rio que nasce na Serra do Corcovado, no Rio de Janeiro.
Conta uma lenda, que os índios tamoios que habitavam esta região, o tinham para si como se um rio sagrado, cujas águas tornavam as mulheres de suas tribos mais belas e de vozes maviosas.

  • Fonte da Carioca
  • Fonte da Carioca
  • Fonte da Carioca

Fonte Nossa Senhora das Laranjeiras

Localizada no prolongamento da rua Theófilo Soares Gomes, atrás da agencia da COPEL, a Fonte Nossa Senhora das Laranjeiras é muito parecida com a Fonte Carioca, e é muito procurada por populares, cuja crença diz que suas águas são milagrosas. Já houve relatos de aparições de Nossa Senhora no local, bem como suas miraculosas curas.
Assim como a Fonte da Carioca, foi de grande importância para o abastecimento de água da cidade. Foi construída em 1906 e conserva até hoje seu aspecto original e constitui-se numa atração ligada aos primórdios da cidade. Conta com caminho de paralelepípedos em meio a densa vegetação, situa-se numa bifurcação do início da trilha que leva ao Mirante da Pedra, numa vala do morro da Graciosa.

  • Fonte Nossa Senhora das Laranjeiras

Ponta do Félix

Localizado no bairro Itapema, constitui-se no ponto mais calmo e isolado da região. O entroncamento de quase 500 m foi uma tentativa de se construir no local um cais para a exportação de ferro, mas a idéia na época não foi levada adiante. Neste local funciona hoje os Terminais Portuários Ponta do Félix de cargas refrigeradas que é o mais moderno da América do Sul com investimento de iniciativa privada.Tem capacidade para exportar aproximadamente 420 mil toneladas de produtos congelados e um volume considerável de cargas gerais (madeiras e produtos siderúrgicos). É um canal sinalizado que vem de Paranaguá possuindo um bom calado. Visitas ao local poderão ser feitas com agendamento prévio.

  • Ponta do Félix
  • Ponta do Félix
  • Ponta do Félix
  • Ponta do Félix
  • Ponta do Félix
  • Ponta do Félix
  • Ponta do Félix
  • Ponta do Félix
  • Ponta do Félix
  • Ponta do Félix
  • Ponta do Félix

Estação Ferroviária

Rua Felizardo G. da Costa, s/n.

  • Estação Ferroviária
  • Estação Ferroviária
  • Estação Ferroviária

Theatro Municipal

Rua Dr. Carlos Gomes da Costa, s/n.

  • Teatro Municipal

Porto Barão de Tefé

Quando do apogeu da erva mate no Paraná, o Porto de Antonina chegou a ser o quarto do Brasil. A queda na produção do mate e a segunda Guerra Mundial acabaram por deslocar o Centro Portuário do Estado para Paranaguá. Por muito tempo, o carvão mineral empregado em nossas indústrias, vindo de Santa Catarina, foi descarregado neste porto. Atualmente encontra-se em funcionamento. Localiza-se na Avenida Conde Matarazzo.

  • Porto Barão de Tefé

Mercado Municipal

xxxxxxxxxxxxxxx

  • Mercado Municipal
  • Mercado Municipal
  • Mercado Municipal