Notícias

Caminho do Itupava e a sua importância histórica

A IMPORTÂNCIA DO CAMINHO DO ITUPAVA NA CONSTRUÇÃO DA CENTENÁRIA ESTRADA DE FERRO PARANAGUÁ - CURITIBA: O caminho do Itupava hoje cortado em dois pontos pela ferrovia (Ipiranga e no Santuário Nª Srª do Cadeado) possibilitou o acesso dos técnicos e engenheiros para os estudos do traçado da Centenária ferrovia, permitindo aos mesmos detalhar o projeto de construção da ferrovia. O pesquisador Edilberto Trevisan "relata que antes da construção foram abertos cerca de 81 km de caminhos ligando as frentes de trabalho. Na área da Serra do Mar, os materiais e mantimentos chegavam aos canteiros de obra pelo antigo caminho do Itupava que partia da Vila de Porto de Cima (onde residiu também Teixeira Soares - responsável pela construção). Cita também o autor que o segundo trecho de construção da ferrovia foi Morretes e Roça Nova (mais desafiador) cujo acesso se dava pelo Caminho do Itupava. "2ª Etapa: Morretes-Roça Nova (Subida da Serra, 38 km): região da Floresta Atlântica com relevo acidentado: iniciava no km 42 com 9 metros de altitude, alcançando 955 metros no km 80. Foi o trajeto mais desafiador da construção." O acesso para essas frentes de trabalho se davam pelo Caminho do Itupava." Até a estrada sair do papel, a solução foi utilizar o caminho do Itupava, que se consolidou por quase dois séculos e meio como a principal rota. Em dois dias a tropa chegava até o destino (pelo Graciosa, a viagem durava quatro dias). Segundo Schmidlin, "estudos apontam que o Itupava foi aberto pelos índios em 1625. O trecho era considerado perigoso, com vários percalços e com aproximados 55 quilômetros de extensão. Beirava precipícios, com subidas escorregadias e trechos estreitos. E serviu para a definição e conclusão dos estudos da ferrovia." Vale a pena conhecer mais os detalhes da construção da Centenária ferrovia e há outras bibliografias disponíveis neste link: http://www.nossolitoraldoparana.com.br/atrativo/lista/7/1 Clique no link abaixo "fonte" e veja lindas fotos antigas e outras bibliografias disponíveis....

› fonte: Portal Nosso Litoral Do Paraná




Mais notícias